24/02/2010

"A maioria da gente enferma de não saber dizer o que vê e o que pensa.
Dizem que não há nada mais difícil do que definir em palavras uma espiral: é preciso, dizem, fazer no ar, com a mão sem literatura, o gesto, ascendemente enrolado em ordem, com que aquela figura abstracta das molas ou de certas escadas se manifesta aos olhos. Mas, desde que nos lembremos que dizer é renovar, definiremos sem dificuldade uma espiral: é um círculo que sobe sem nunca conseguir acabar-se. A maioria da gente, sei bem, não ousaria definir assim, porque supõe que definir é dizer o que os outros querem que se diga, que não o que é preciso dizer para definir. Direi melhor: uma espiral é um circulo virtual que se desdobra a subir sem nunca se realizar: Mas não, a definição ainda é abstracta. Buscarei o concreto, e tudo será visto: uma espiral é uma cobra sem cobra enroscada verticalmente em coisa nenhuma.
Toda a literatura consiste num esforço para tornar a vida real. Como todos sabem, ainda quando agem sem saber, a vida é absolutamente irreal, na sua realidade directa; os campos, as cidades, as ideias, são coisas absolutamente fictícias, filhas da nossa complexa sensação de nós mesmos. São intransmissíveis todas as impressões salvo se as tornarmos literárias. As crianças são muito literárias porque dizem como sentem e não como deve sentir quem sente segundo outra pessoa. Uma criança, que uma vez ouvi, disse, querendo dizer que estava à beira de chorar, não «Tenho vontade de chorar», que é como diria um adulto, isto é, um estúpido, senão isto: «Tenho vontade de lágrimas». E esta frase, absolutamente literária, a ponto de que seria afectada num poeta célebre, se ele a pudesse dizer, refere absolutamente a presença quente das lágrimas a romper das pálpebras conscientes da amargura líquida.
«Tenho vontade de lágrimas»!
Aquela criança pequena definiu bem a sua espiral." - (Fernando Pessoa)



Torna-te útil por favor! Faz um bem a ti próprio.

12 comentários:

PR" disse...

Este texto é muito bom, Rainha **

(L)

Né # disse...

Adorei amor. Vamos ser fortes sempre ! [Pelo menos tentar :X] Beijinhos LY <3

SaraSerrano disse...

ohn adorei, grande excertoo ;)
*

M' disse...

Faz um bem a ti proprio e a mim (ti) tb x) somos PODEROSISSIMAS xD é ve_los a comprarem gelados na china de proposito xD

Oh, há uns burros e cobardes e estupidos e parvalhoes, mas há excepçoes 'a regra x) um dia encontras a tua excepçao xD

Meio Cheio disse...

Não seja por isso...agora já vais saber quem são...

http://www.youtube.com/watch?v=Rat3sLxpfo0

É daquelas bandas portuguesas que vale apena conhecer...procura no youtube a versão deles da musica Vinho do Porto...muitooooo boa!!!

Beijo*

Lábios de Caprichos disse...

Pessoalmente, gosto bastante do que esse homem (louco) escrevia :)

Misty disse...

Nosso rico Fernando Pessoa, um dia também eu lerei tudo o que existe dele.

Muito boa escolha ;)

M' disse...

E nao há dois reis a governar x)

Ahahah ei, a China nao cheira mal x) era mais no sentido de irem para longe pq gelados sao optimos e a china é optima *.*

Sim, enquanto nao encontramos o certo, divertimo-nos com o errado x)

Inés disse...

O meu amor por este homem é infinito xD

Lu disse...

adorei o texto..

a tua ultima frase de ele fazer um bem a ele, eu uso muito isso xD

Débora. disse...

o nosso gosto musical e algo unico :o
amor e bom gosto e basta.

Daniela disse...

Gostei do texto *-*